ACNUR e Festival do Minuto apresentam vídeos que sensibilizam sobre a realidade do refúgio

Concurso recebeu cerca de 200 trabalhos de todo o mundo. Os finalistas e vencedores foram anunciados num evento marcado pelas vozes dos refugiados que vivem em São Paulo

O mundo tem hoje mais de 60 milhões de pessoas deslocadas de forma forçada. No Brasil, atualmente vivem cerca de 9 mil refugiados e conscientizar a população sobre essa realidade é um desafio no processo de integração no país. E com esse intuito, o Festival do Minuto e o Alto Comissariado das Nações Unidas (ACNUR) promoveram no Sesc Vila Mariana, em São Paulo, a exibição um concurso de vídeos, que recebeu aproximadamente duzentos curtas de todo o mundo sobre o tema – e com o desafio de tratar da temática em até um minuto.

Clique aqui para conferir os vídeos premiados e finalistas do Festival do Minuto

Os vídeos premiados foram anunciados neste sábado (18) num evento marcado pelas vozes de refugiados. Na abertura, as crianças do projeto Coração Jolie, da IKMR – Eu Conheço Meus Direitos, apresentaram clássicos da música brasileira – como Aquarela, Azul da Cor do Mar e Vamos Construir – resignificando o tema do refúgio. Já no encerramento, com músicas em Lingala e português, os músicos de Angola e da República Democrática do Congo que integram o grupo “Os Escolhidos” também apresentaram um pouco de sua arte e contagiaram os presentes.

Leia mais: ACNUR premia vídeos do Festival do Minuto Refugiados em São Paulo (ACNUR, 22/06/2016)

coral-coracao-jolie_festival-minuto-refugiados

Coral Coração Jolie, formado por crianças refugiadas, abriu com chave de ouro o Festival do Minuto (Foto: Rodrigo Borges Delfim/MigraMundo)

A assessora de proteção do ACNUR em São Paulo, Isabela Mazão, lembra que o Dia Mundial do Refugiado, lembrado no dia 20 de junho e instituído pela ONU no ano 2000, é uma data para conscientizar o mundo sobre a situação das pessoas deslocadas no mundo e refletir sobre formas de integração. “No Brasil, todos os anos fazemos eventos para sensibilizar a sociedade. Neste ano, tivemos a oportunidade de fazer essa parceria com o Festival do Minuto e foi incrível, uma maneira nova de mobilizar públicos diferentes sobre essa causa, com vídeos enviados por pessoas do mundo inteiro. Essa é mais uma ferramenta para sensibilizar as pessoas sobre a causa do refúgio”.

os-escolhidos_festival-minuto_refugiados-1024x576-720x294

Grupo “Os Escolhidos” contagia a plateia com músicas em lingala e português (Foto: Rodrigo Borges Delfim)

O cineasta e curador do Festival do Minuto, Marcelo Masagão, também falou sobre a parceria com o ACNUR e destacou a necessidade de pensar no refúgio de forma expandida, refletindo sobre as dificuldades que as pessoas vivenciam no processo de integração, para que os refugiados possam ter seus direitos garantidos.

dado_galvao_refugiados_festival-minuto

Dado Galvão, de Jequié (BA), autor de um dos vídeos vencedores do festival (Foto: Rodrigo Borges Delfim)

Entre os 22 finalistas exibidos no festival, apareciam mensagens de reflexão e de incentivo à ação sobre a temática do refúgio, como “Vidas Refugiadas”, de Gabriela Cunha Ferraz, “Amanhã precisa ser melhor”, de Rafaela Carvalho, e “Ninguém fica de fora”, de Dado Galvão – este último, um dos vencedores do Festival do Minuto. Presente na cerimônia, Dado contou que no processo de produção do vídeo, gravado na feira de Jequié, município da Bahia, que tem cerca de 140 mil habitantes, ao mostrar fotos dos refugiados ao redor do mundo, convidava as pessoas a refletirem sobre a questão. “As mesmas lonas da feira livre de Jequié são usadas para abrigar refugiados pelo mundo”, lembrou.

Além da exibição dos vídeos finalistas no Festival, o público também pode conhecer o documentário “Refugiados: um olhar sobre o presente”, do Sesc São Paulo, que apresenta as histórias de refugiados da Colômbia, República Democrática do Congo e da Síria. Desde 1995, o Sesc oferece cursos de português para refugiados, atualmente com turmas nas unidades do Carmo, Belenzinho, Consolação e, a partir de julho, na Pompeia.

O recém-nomeado Secretário Nacional de Justiça e novo presidente do Comitê Nacional para Refugiados, Gustavo Marroni, também participou do evento e se comprometeu a manter as políticas para refugiados existentes no país.

Semana do Dia do Refugiado

Em São Paulo, instituições que atuam no acolhimento e integração dos refugiados promoverão diversas atividades ao longo da Semana. No Sesc Consolação haverá uma roda de conversa com refugiados no dia 20, das 9h às 12h. Já a Cáritas Arquidiocesana de São Paulo (CASP) promoverá o evento Portas Abertas, no dia 25 de junho, recebendo pessoas e doações para os refugiados que chegam à cidade. Em julho, nos dias 10, 16 e 17, será realizada a 3ª Edição da Copa dos Refugiados, no Sesc Itaquera.

Para o diretor da CASP, padre Marcelo Monge, o número de descolados forçados no mundo mostra que pouco tem sido feito para que as pessoas não sejam obrigadas a deixar seus países. A instituição tem trabalhado para buscar formas de integrar os refugiados na sociedade e, nesse sentido, destacou a importância da sensibilização feita por meio do festival. “Ações como essa servem muito mais para nós, nacionais, para que nos sensibilizemos e assim possamos abrir nossas portas”.

Por Géssica Brandino (texto) e Rodrigo Borges Delfim (imagens e vídeos) do MigraMundo